Mentores Disponíveis

Alessandro Hirata

Escolher um curso, entrar para a faculdade, morar sozinho e fazer escolhas profissionais são desafios da vida adulta que são assustadores, desafiadores e fascinantes. Passei por todos esses momentos e sei que nem sempre podemos compartilhar com alguém nossas agruras e dúvidas. Como mentor do programa da FDRP, gostaria de poder passar essas experiências, buscando facilitar e ajudar os monitorados nesses momentos de vida.

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 8 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: em grupo.

 

Periodicidade proposta para os encontros: mensal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caio Gracco Pinheiro Dias

Sou professor de direito praticamente por acaso. Minha trajetória até aqui é uma evidência de que quando o futuro vira presente, ele normalmente é muito diferente daquilo que tínhamos planejado.
Como muitos, entrei na faculdade de direito pelas razões erradas: neto mimado de avós que queriam me ver o juiz mais jovem de São Paulo, achava que a magistratura era uma boa carreira porque não pagaria imposto de renda (vai vendo…); não é muito diferente dos que hoje buscam a carreira pelo gordo salário, mas enfim… Na faculdade, logo no primeiro ano, estudando IED, pela primeira vez encontrei um texto que não consegui entender. O baque para quem foi CDF a vida toda foi tão grande que só no quarto ano é que voltei a pegar um livro para estudar (que tenha chegado até lá com uma única DP em Civil I é um milagre explicado pelo excelente sistema de avaliação da São Francisco). Como muitos colegas, escolhi a especialização em direito penal no quinto ano porque era “a melhor pra quem quer carreira pública”.
Sem saber o que era pesquisa e sem ter feito IC, mas tendo a sorte de escolher um tema pouco estudado na época e que era caro ao orientador, entrei no mestrado logo após me graduar, e passei longos 5 anos tentando enteder o que era pra fazer. Nesse período, também desisti da magistratura e comecei a achar que o fato de nenhum dos escritórios para os quais eu mandei o currículo ter me chamado para uma entrevista talvez tivesse relação com eu ter sido nomeado Oficial de Gabinete de um juiz “polêmico”, na Justiça Federal, onde fui técnico juduciário por 5 anos. Como eu já estava fazendo monitoria com minha orientadora por essa época, pensei que a docência talvez fosse uma forma de passar um tempo enquanto eu não me decidisse por algo melhor e financeiramente mais recompensador. Contando bastante com a sorte (três colegas que foram convidados para uma posição de professor não puderam assumir as turmas que um professor tinha abandonado no começo do ano em Sorocaba, e a terceira convidada que não podia pegar as aulas indicou meu nome para o Coordenador do curso que, provavelmente sem ter outra pessoa para convidar, resolveu me chamar para uma entrevista), comecei a dar aulas profissionalmente logo após o Carnaval de 2000. O resto dessa história vocë lê no meu Lattes.
Com esse histórico, eu não posso te dar dicas sobre planejamento de carreira e coisas do gênero, mas entendo bem essa sensação de estar à deriva, sem saber direito o que fazer, e talvez possa te contar uma ou duas coisas que aprendi nesses 20 anos, inclusive sobre privilégio.

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 5 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: em grupo.

 

Periodicidade proposta para os encontros: mensal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Claudia Sarkis Rezende

 

Olá! Apesar de não ser da área do Direito, acredito que passei por alguns desafios que vocês devem estar passando agora. Morar fora de casa cedo, em outra cidade, o ritmo e didática diferentes de ensino médio e universitário, as inquietações do caminho a trilhar com o fim da faculdade… Acredito que se tivesse tido um mentor ou mentora tudo teria sido mais fácil, e é por isso que estou aqui. Quero tornar esse desafio mais fácil pra você! Vamos juntos?

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 4 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: em grupo.

 

Periodicidade proposta para os encontros: quinzenal.

 

 

 Cynthia Soares Carneiro

Informações em breve.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ednéia Silva Santos Rocha

 

 

É muito bom estar com vocês no Programa de Mentoria da FDRP/USP.

Minha maior satisfação atuando como bibliotecária é proporcionar, aos usuários da biblioteca, o desenvolvimento de competências informacionais para que, ao longo de sua vida, consigam suprir com independência suas necessidades informacionais. Entendo essa parceria como uma relação de mentoria.

Acredito na importância do papel do mentor, e sei que o trabalho de mentoria envolve paixão, compromisso e habilidades específicas para aprender coisas novas e encontrar soluções para as necessidades d@ mentorad@.

Em minha graduação, tive uma professora que marcou e mudou completamente minha vida profissional e minha percepção de mundo, ela me entendia e me guiava. Ela é uma pessoa muito importante na minha história, assim como ela, também espero ser uma mentora especial para você, pois tenho certeza que iremos compartilhar ótimas experiências no decorrer dessa parceria.

Espero acima de tudo crescer e aprender com você!

Conte comigo sempre!

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 2 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: Individuais.

 

Periodicidade proposta para os encontros: Semanal.

 

 

 

 

 

Erika Thais Penha

É uma grande alegria participar do Programa de Mentoria da FDRP. Ficarei ainda mais feliz se eu conseguir ajudar vocês de alguma forma. A nossa vida é um eterno ponto de interrogação: o que estudar na graduação? o que fazer após a graduação? que rumo tomar? onde investir meu tempo, meu dinheiro e meus esforços? etc etc. As dúvidas são muitas e frequentes e eu já passei por várias dessas, por isso acredito que seja bastante relevante discutir o assunto, escutar opiniões para uma melhor análise e confio que esse programa de Mentoria poderá contribuir com vocês. Sempre quis fazer Psicologia, mas por algumas razões, não foi possível, mas nunca perdi essa vontade, por adorar conversar, dialogar, analisar as situações, escutar as pessoas, as histórias e etc. Quando não tive condições de fazer esse curso, veio a pergunta, qual fazer? Após a formatura, que caminho seguir? Por isso, por já ter enfrentado e respondido várias perguntas que hoje vocês enfrentam, entendo o que estão passando. A princípio o curso que fiz foi uma segunda ou talvez até terceira opção, mas depois consegui encontrar vários pontos que me agradavam e tentei tirar o melhor proveito possível, aprendendo a criar possibilidades onde acreditava não existir. Hoje, enxergo que algumas decisões poderiam ter sido diferentes e o caminho um pouco mais fácil, mas tudo é aprendizado e experiência, sempre valendo muito a pena cada momento. Essa troca de experiências valerá muito a pena e será um aprendizado incrível para todos. Estou muito animada para tentar ajudar. Pode contar comigo.

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 4 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: Mistos.

 

Periodicidade proposta para os encontros: Quinzenal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fabiana Cristina Severi

 

Durante a minha graduação, as principais inquietações que tinha sobre o curso eram sobre o meu forte entusiasmo em relação às leituras e disciplinas do curso mais relacionadas à formação humanística e interdisciplinar, e o baixo interesse nas disciplinas e conteúdos do eixo de formação técnica. Por algum tempo, então, minha principal questão era se eu estaria fazendo o curso certo para o meu perfil. Foi a pesquisa de iniciação científica e a extensão universitária que foram me aproximando de um tipo de atuação profissional no direito que eu acredito hoje ser o mais adequado aos meus interesses. Desde o início da minha vida profissional, tenho trabalhado com vários temas em direitos humanos, seja como professora, como pesquisadora ou assessora jurídica. Nesse campo de atuação que também consegui identificar a importância do estudo dogmático do direito.

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 3 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: em grupo.

 

Periodicidade proposta para os encontros: mensal.

 

 

 

Gustavo Assed Ferreira

Estou muito feliz com a oportunidade que a FDRP me proporcionou de participar da atividade de Mentoria no Programa de Saúde Mental e Bem-estar.  Acredito que o adequado desenvolvimento pessoal e profissional de cada jovem Discente passa pela sua capacidade de realizar as melhores escolhas em busca da sua paz interior e da felicidade. Contem comigo!

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 5 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: mistos.

 

Periodicidade proposta para os encontros: mensal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ignácio Maria Poveda Velasco

É com grande prazer e alegria que aceito o convite que me foi feito pela FDRP, através do Prof. Nuno Coelho, para participar da atividade de Mentoria, dentro do Programa de Saúde Mental e Bem-estar da Faculdade, esperando poder, assim, contribuir para o desenvolvimento pessoal e profissional do corpo discente.

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 5 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: em grupo.

 

Periodicidade proposta para os encontros: mensal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Jair Aparecido Cardoso

Informações em breve.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria Paula Bertran

 

Meu nome é Maria Paula Bertran. Assim que terminei o meu mestrado, a bibliotecária da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco me chamou para uma reunião. Chegando lá, ela disse: “Sei que seu Mestrado é sobre Direito Processual Civil. Mas não sei como catalogá-lo? Ação divil pública ou recursos?” O trabalho era sobre Filosofia do Direito, análise econômica do Direito, pesquisa empírica e litígios em massa. O erro não era da bibliotecária (extraordinária profissional, aliás). O problema é a fragmentação de nossas estruturas de pensamento e ensino. Os caminhos convencionais são cada vez mais inadequados para as vocações genuínas, ou para as demandas profissionais. Professores incríveis, vanguardistas, me ajudam a ver a beleza de não estar em nenhuma das caixinhas. Gostaria de retribuir aos alunos da Universidade de São Paulo os grandes e sábios conselhos que meus mestres já me deram.

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 3 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: em grupo.

 

Periodicidade proposta para os encontros: mensal.

 

 

 

 Maisa de Souza Ribeiro

Durante minha trajetória acadêmica, como aluna de graduação até o estágio de professora e orientadora, tive muitas oportunidades de aprendizado de vida com o contato com meus pares. Muitas vezes, as dúvidas e as ajudas mútuas transcendem os aspectos acadêmicos. Minha atuação na área de pesquisa em sustentabilidade, também, tem me permitido experiências ímpares e interdisciplinares.

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 5 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: individuais.

 

Periodicidade proposta para os encontros: quinzenais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nuno Manuel Morgadinho dos Santos Coelho

 

Resolvi colaborar no Programa de Mentoria porque muitas vezes, ao longo de minha trajetória acadêmica, especialmente nos anos iniciais de minha formação, tomei decisões de que me arrependi. Se contasse com alguém experiente, com quem pudesse conversar, teria organizado e planejado tudo melhor. Principalmente, teria atravessado aquela fase com mais tranquilidade e eficácia. Estou às ordens para ajudar, a partir de minha experiência!

 

Vagas abertas para este quadrimestre (set. a dez. 2020): 15 vagas.

 

Encontros individuais, em grupo ou mistos: em grupo.

 

Periodicidade proposta para os encontros: mensal.

 

 

 

 

 

Sérgio Nojiri

Informações em breve.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Thiago Marrara de Matos

Informações em breve.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em breve mais mentores!